COMUNICADO AOS ENFERMEIROS E MINISTÉRIO DA SAÚDE

SAÚDE COLEGAS,
1. Vamos organizar, dentro dos parâmetros legais, o acionamento de greves, com a presença no local de trabalho e rigor máximo na função; É a normalmente chamada greve de zelo na qual não existe perda de vencimento,nem tão pouco, marcação de faltas porque o rigor começa, precisamente, no cumprimento do horário, de acordo com o artigo 56 e os seus 12 números do dl 437/91de 8/11.
2. Colegas; chamamos a vossa atenção de que o êxito desta forma de luta depende, fundamentalmente, do empenho de cada um de vós quanto à observância da disciplina sindical e do respeito pelas normas emitidas pela direção sindical.
3. A verdade, que cada vez está a vir mais à superfície, acerca das causas da nossa situação é de quem a alimenta, aconselhamos cada Colega a juntar-se a nós, pois a chorar pelos cantos e a lamentarmo-nos, não saímos da cepa torta.
Além disso o tempo da retórica esgotou-se, sem resultados.
Por isso se impõe o tempo da ação de luta, por tempo indeterminado, até haver sinais positivos do governo, na reposição do que roubaram aos Enfermeiros:
– carreira profissional,
– vencimentos.
Sem estes pressupostos a luta continua até atingirmos os objetivos pretendidos, por justos que são.
Colegas, contamos com a vossa ajuda; contem com a nossa disponibilidade.
As direções da FENSE.
Fernando Correia e
José Azevedo